segunda-feira, 22 de junho de 2009

Para sempre

Para sempre

Toda vez que estou contigo,
eu choro.

Eu choro a amargura profunda
de estar longe de ti.
Eu choro a tristeza destruidora
de não ouvir a sua voz.

Eu choro uma dor terrível,
terrível, terrível, terrível,
dor de não te ter comigo.

Eu choro uma ferida no peito,
eu choro uma chaga aberta
que chora sangue, que chora
a minha vida,
que me chora para fora de mim.
Eu choro um choro
de melancolia infinda.

Eu choro um gesto
de ser amado e compreendido.
Eu choro um olhar
de ternura, de carinho,
de olhar que quer o bem,
de olhar apaixonado com que te olho,
de olhar de amor com que me olhas.
Eu choro um abraço
apertado na eterna doçura de sermos dois.
Eu choro um beijo
que me dás no rosto,
no pescoço,
na boca,
no mais íntimo de minha existência,
na alma.

Eu choro uma alegria
que jamais em palavras
poderei expressar a ti.

Toda vez que estou contigo,
eu choro sorrisos.

2 comentários:

Simone Santana disse...

Que lindo poema!!! Tão verdadeiro...

Parabéns, Benjamim

Beijo!!!

Jullia Aranha Amaral disse...

Que bonito...mesmo.