quarta-feira, 21 de maio de 2008

Hotel

Hotel

O medíocre de um pode ser o extraordinário de outro.

Quem poderá dizer se viver não é, simplesmente, viver?
Trabalhar, ganhar meu sustento, ter conforto para mim e minha família,

realizar meus propósitos.
Ser bom,
minha meta.
Ser útil,
meu desejo.

Ser feliz e fazer feliz,
meu ideal.

Viver é respirar o ar que outros já respiraram, sabendo que no futuro outros respirarão o ar que nós respiramos, e não se preocupar demais com isso:
porque o que virá cuidará de si,
devendo nós apenas deixar o quarto em ordem
para o hóspede agendado
para depois do nosso "check-out".

Não sou panfletário.
Não levanto bandeiras.
Sou idealista sem pensar nos meus ideais
porque eu sou meus ideais
e eles são eu.

4 comentários:

Anônimo disse...

se um dia pensares que te esqueci, saibas que sempre te leio e pergunto de ti, abraços

Anônimo disse...

O ANÔNIMO ACIMA É SEU VELHO PROFESSOR E AMIGO JURA

simone santana disse...

Bom demais visitar seu blog. A cada visita minha admiração aumenta. Que linda metáfora! Quando todos começarem a pensar assim, organizar o quarto para o próximo, esse grande hotel, que é o mundo, com certeza ficará mais hospitaleiro, e mais pacífico, pois não haverá tanta dor...

rafa disse...

Nossa Benjamim, não sabia que vc escrevia coisas tão bonitas. Muito legal mesmo. Parabéns.