quarta-feira, 8 de julho de 2009

Videogame

Olá leitores do maluco sadio! Bom, ainda estou animado com a publicação dos livros, mas preciso continuar com meus posts. Estava jogando videogame no outro dia e me senti inspirado por dois jogos em especial: Metal Gear Solid[bb] e Okami[bb]. Por causa disso, decidi escrever textos inspirados nesses jogos. Quem não os conhece, sugiro que busque conhecer pois além de serem divertidos eles são muito artísticos e tratam de temas sérios e polêmicos. Estou escrevendo um livro de contos baseado em Okami e logo publico aqui o primeiro deles para vocês lerem. Vou lançar alguns também no blog Rosa de Pedra (que vocês podem visitar pela barra aí ao lado), então fiquem de olho! Abaixo seguem duas poesias que escrevi baseado no jogo Metal Gear Solid. Espero que gostem!

À espera

Para Wolf.
"Gunfire, sirens and screams... they were my lullabies..."

Uma criança
nascida em meio à luta,
criada em meio à luta.

Uma criança
que acorda de manhã
para encontrar
mais um amigo
morto.

Uma criança
sempre correndo,
itinerante infeliz,
desesperada em fuga eterna.

Sempre tendo que ir
embora para outra terra,
para uma terra sem mortos,
para uma terra que ainda não existe.

Uma criança
sempre esperando,
sem mover um músculo,
sem piscar um olho.

Esperando pelo dia
em que a terra deixará
de ser vermelha
do sangue daqueles que se foram.
Esperando pelo dia
que não vai chegar.

Uma criança esperando paz
por detrás da mira de um rifle.

Tragédia!
Crueldade!
Injustiça!
Milhões que não precisavam ter ido
se foram.
Nações inteiras que não precisavam partir
partiram.
E a dor jamais será menor.

Acredite ou não,
mas a grande verdade
é que matar
é fugir.

A sombra

Para Frank Jaeger
"Now... in front of you... I can finally die..."

Um homem
cansado
em busca de paz.

Um passado
esquecido
ao longo dos anos.

Uma vida de guerra,
luta feroz
de sangue e de lágrimas.

Uma sombra num mundo de luzes,
condenada a vagar sem destino,
destinada a encarar para sempre
os olhos de homens sem vida.

Angústia, dor e medo!

Conformação,
indiferença daqueles
que não podem mais sentir
e, ainda assim,
sentem.


Dor e medo, terror!

Saudade dos dias em que podia morrer,
saudade do tempo
em que poderia ter paz.

Homem saudoso da morte.

Homem saudoso do rugido do canhão,
do estampido
e do cheiro forte
da pólvora.

Homem saudoso de ser homem.

E por isso luta,
corta a carne e mata
até que algum dia
morra novamente.

Homem que sai
num frenesi sangrento contra toda a humanidade
até que alguém,
por fim,
também o mate.

E, por fim,
acaba morrendo.
Fim da luta contra a vida,
contra a vida ingrata
e maldita.
Paz e descanso
de um herói de trevas
num mundo de luz.

Um corpo
morto
caído no chão.

2 comentários:

Jaime Guimarães (Groo Veiga) disse...

Olá!

Bem, não conheço os jogos, mas se são como você diz, parecem bons ( gosto de coisas polêmicas, sobretudo).

E se eles inspiram boas imagens como as que você produziu em suas poesias, então a coisa toda é bem melhor do que se imagina. Talvez me inspirem a escrever melhor. Ou pior, vai saber.

abs!

Alan Salgueiro disse...

se musicadops poderiam ser até a trilha sonora do anime, achei interessante!