terça-feira, 4 de agosto de 2009

Poesia infantil

poesia infantil[bb]Mudando do assunto dos videogames, estou escrevendo também poesia infantil. Pretendo encher um livro todo delas! Vai uma mostra de como estou indo até agora:

O peixe-boi


O peixe-boi dorme.

Tranqüilo peixe-boi

Que se deixa embalar

Pelo calmo correr

Da correnteza do rio.

Então ele abre um olho,

Abre outro,

E dá um grande bocejo.

O peixe-boi acorda

E come uma alga

Do fundo do rio.

Um pouquinho mais adiante,

Come outra alga.

Ele mastiga

Vagarosamente

E sente sono.

Enquanto engole

O verde capim dos rios,

O peixe-boi pensa

Em sua família.

Ele então se entristece,

Sente um peso a lhe apertar

O peito

E tem vontade de chorar.

O peixe-boi não tem mais

Pai nem mãe.

Um caçador malvado

Levou-os embora,

Para longe do triste peixe-boi.

O peixe boi não tem mais

Irmão nem irmã.

Um barco desgovernado

Os atropelou e os tirou

Do pobre peixe-boi.

O peixe-boi não tem mais

Amigos nem companheiros.

A sujeira dos esgotos

Das casas dos homens

Espantou todos

Os outros peixes-bois

Para mananciais distantes.

O peixe-boi está sozinho,

Peixe-boi sem rebanho,

Peixe-boi sem cardume,

Coitadinho do peixe-boi!

E por isso ele chora,

Chora como uma criança

Aninhada em sua cama.

Mas ninguém percebe

Esse choro

Pois, assim que brotam,

As lágrimas do peixe-boi

Se misturam à fria e triste

Água do rio

E desaparecem

Sem rastro.


Um pouco melancólico, mas acredito que esteja bom. Voltando aos videogames, postei mais um conto inspirado no jogo Okami la no blog Rosa de Pedra, que você pode acessar pelo menu ao lado. Confiram! Logo postarei um aqui também. Até a próxima!


2 comentários:

Paulo disse...

Poesia significativa e um tema de grande valia para os dias atuais.
Deixo o endereço do blog
http://et-cetera-e-tal.blogspot.com/

luiz scalercio disse...

bellissimo poesia prbns