terça-feira, 2 de setembro de 2008

Primavera


O branco singelo da margarida

Refulge no teu largo sorriso luminoso,

E do verde claro da grama

Pintou-se a minha alma com a tua paz.

Das flores amarelas do Ypê

Vestiu-se o teu corpo para alegrar-me,

Enquanto o profundo azul do teu céu limpo

Encheu o meu olhar de carinho e amor.

No teu jardim florido achei-me perdido

Em um milhão de novas sensações,

E não quero jamais longe de ti

Encontrar-me novamente.

Com as cores que você me deu

Compus a minha felicidade

Em uma alegre aquarela de flores.

Desabrocho cotidianamente

No amor que sinto por ti

Em um turbilhão de novas cores

Nunca antes vistas pelo olho humano.

Enfim,

Sou feliz.

Foi você quem trouxe a minha primavera.

7 comentários:

simone santana disse...

Pois é... Dei pra me fragmentar nesses textinhos curtos agora... Porque poesia não é. Poesia é o que você faz, esse expor sentimento tão lindo, provocar nas palavras o amor sem medo. Suas poesias possuem um romantismo original e terno. Invista nisso. Adoro!

Milhões de beijos!

Anônimo disse...

lindo texto rapaz

jura

lara disse...

Nossa, linda poesia. Adorei o blog. depois passa no meu: http://pintandoasunhas.zip.net/
abraços.

Honestino Afonso Xavier disse...

bom dia
parabéns pelo blogger..
quando der visite o meu
deixe recados
abraços

lara disse...

Vou continuar escrevendo e você continue lendo. Volte sempre, será bem-vindo.
beijos

Palavra-Poética disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Palavra-Poética disse...

Tua "primavera" tem zínia matiz com pétalas meio sofisticadas...