quarta-feira, 15 de outubro de 2008

8

8.
Número misterioso.
Ampulheta secreta do tempo corrido,
Contador dos felizes dias que vivi.
Máscara da qual me despi:
Joguei-a no lixo,

Abri os braços para um céu azul profundo.

Abri os olhos para um par de olhos meigos
Pretos, muito pretos,
Que me olham com ternura.

8 meses deitado
No aconchego de um abraço carinhosamente apertado.
8 meses deitado
No conforto de dois braços que me querem bem.
8 meses deitado
Na felicidade de estar com você.

8,
Número misterioso,
Pois o 8 quando se deita
Revela o divino segredo do infinto:
Alegria de ser completo,
Eterna felicidade de amar e ser amado.

Passei 8 meses sorrindo
O infinito amor que tenho por ti,
Sorrindo os infinitos meses
Que passarei sorrindo
O infinito amor que tenho por ti.

8 meses sorrindo por poder sorrir infinitos oito meses mais
Esse infinito amor que me faz
Tão bem.

Número misterioso
Da imensa alegria de viver contigo.

Eu nunca fui tão feliz.

6 comentários:

Anônimo disse...

aaaaw.... lindo o poema, benja! amei a sacada do oito deitado ^^
de fato, forma os melhores oito meses que já vivi. ñ quero nada diferente do que aquilo que eu vivo com você, das coisas que você me proporciona.
te amo.

.raphael. disse...

valeu pela visita cara.. passe sempre la!
e q declaracao de amor em forma de versos... tanto o 8 como o amor sao misteriosos!

abraço

Arte da Luluzinha disse...

Que lindo!
Espero que muitos outros números tbém sejam repletos de uma infinidade de alegrias.
obs. não vale ser anônimo heim (bjs f2)

jurandir disse...

feliz 8...
parabéns
gostei!!!!

Karla Hack disse...

Nossa lindo poema..
B em ritimado e cheio de criatividade..
O 8, número do poder, e seus misterios não poderiam estar melhor representados!

;D

bjus

Anônimo disse...

Belo Poema...

Sucesso no seu Blog.

Abraço.